quarta-feira, 29 de abril de 2015

Universidade Federal da Paraíba
Centro de Ciências Humanas Letras e Artes
Departamento de Ciências Sociais

PROGRAMA
DISICPLINA FORMAÇÃO DO ESTADO NO BRASIL

Disciplina: Formação do Estado no Brasil 
Docente: Prof. Dr. José Henrique Artigas de Godoy
Período: 2015.1
Créditos: 4

Ementa
Patrimonialismo ou ordem escravocrata? Pensamento Político Brasileiro: a “sociedade” brasileira (Oliveira Vianna, Tavares Bastos, Joaquim Nabuco, Nestor Duarte e Caio Prado Jr.). Pilares da monarquia constitucional: centralização, pacto federativo, poder moderador. Construção da nação e autoridade política: A Guarda Nacional; nação e população; nação e fronteiras. Burocratização do Estado e extensão da representação política: clientelismo, coronelismo e mandonismo. O patrimonialismo. O lugar das ideias políticas: o liberalismo no Brasil.

Programação

AULA 1.  Apresentação do programa do curso

AULA 2.  Mito fundador e sociedade autoritária: Marilena Chauí

Bibliografia indicada
 CHAUÍ, Marilena. Brasil: mito fundador e sociedade autoritária. São PauloFundação Perseu Abramo, [2000].

Bibliografia complementar
 CARVALHO, José Murilo deO motivo edênico no imaginário social brasileiro. São Paulo: Revista Brasileira de Ciências Sociais, vol. 13, nº 38, 1998. 
HOLANDA, Sérgio Buarque deVisão do Paraíso: os motivos edênicos no descobrimento e colonização do Brasil. São PauloBrasiliense, cap. VII, “Paraíso perdido”, cap. VIII, pp. 183-227, “Visão do paraíso”, pp. 227-301, e cap. XII, “América portuguesa e Índias de Castela”, pp. 383-407, 2000 [1958].
VAINFAS, RonaldoSérgio Buarque de Holanda: Visão do Paraíso. In MOTA, Lourenço Dantas (org.). Introdução ao Brasil: um banquete no trópico. São PauloSENAC, 2ª ed., vol. 2, pp.25-43, 2002.

AULA 3.  Independência e Monarquia Constitucional: José Bonifácio

Bibliografia indicada

CALDEIRA, Jorge. José Bonifácio. São Paulo: Ed. 34, pp. 2002.
SILVA, José Bonifácio de Andrada e. Representação à Assemblea Geral Constituinte e Legislativa do Império do Brasil: Sobre a Escravatura. ParisTypographia de Firmin Didot, 1825.

Bibliografia complementar

COSTA, Emília Viotti daDa Monarquia à República. São Paulo: Editora UNESP, 8ª ed., cap. 2, “José Bonifácio: mito e história”, pp. 63-133, 1998. 
COSTA, Emilia Viotti da. Introdução ao estudo da emancipação política. In MOTA, Carlos Guilherme. Brasil em Perspectiva. São PauloDifel, 15ª ed., pp. 64-126, 1985.
MOTA, Carlos Guilherme. José Bonifácio: Projetos para o Brasil. In MOTA, Lourenço Dantas (org.). Introdução ao Brasil: um banquete no trópico. São PauloSENAC, 2ª ed., pp. 75-95, 1999.
LYNCH, Chritian Edward Cyril. A vocação sociológica do legislador: o pensamento político do Marquês de Caravelas. In RIBEIRO, Gladys Sabina. Brasileiros e cidadãos: modernidade e política (1822-1930). São Paulo: Alameda, pp. 149-174, 2008.

AULA 4. O regresso conservador e o tempo saquarema: Visconde do Uruguai

Bibliografia indicada

CARVALHO, José Murilo de (org.). Entre a autoridade e a liberdade. In CARVALHO, José Murilo de. Visconde do Uruguai. São PauloEd. 34, pp. 11- 76, 2006.
 
Bibliografia complementar

CALDEIRA, Jorge (org.). Diogo Antonio Feijó. São PauloEd. 34, introdução, pp. 11-42, [1999].
CARVALHO, José Murilo de (org.). Bernardo Pereira de Vasconcelos. São PauloEd. 34, introdução, pp. 9-36, [1999].
CARVALHO, José Murilo deCentralização e descentralização no Império. In CARVALHO, José Murilo dePontos e bordados: escritos de história e política. Belo HorizonteEd. UFMG, pp.155-189, 1999.
MATOS, Ilmar Rohloff deO tempo Saquarema: a formação do Estado imperial. São PauloHucitec, 1987. 
 COSER, Ivo. Visconde do Uruguai: centralização e federalismo no Brasil (1823-1866). Belo Horizonte/ Rio de Janeiro: Ed. UFMG/IUPERJ, “Conclusão”, pp. 367-379, 2008.

AULA 5. Liberalismo e descentralização: Tavares Bastos

Bibliografia indicada

BASTOS, Tavares. A província: estudo sobre a descentralização no Brasil. Companhia Editora Nacional, coleção brasiliana, nº 105, 3ª ed., São Paulo, 1975 [1870].

Bibliografia complementar

BRANDÃO, Gildo Marçal. Linhagens do pensamento político brasileiro. São PauloHucitec, cap. 1, “Linhagens do pensamento político brasileiro”, pp. 21-68,  2007.
DOHLNIKOFF, Miriam. O pacto imperial: origens do federalismo no Brasil. São Paulo: Globo, 2005.  
FERREIRA, Gabriela Nunes. Centralização e descentralização no Império: o debate entre Tavares Bastos e o Visconde de Uruguai. São PauloEd. 34, 1999.

AULA 6. A escravidão e a obra da escravidão: Joaquim Nabuco

Bibliografia indicada

NABUCO, Joaquim. O abolicionismo. São PauloNova Fronteira/Publifolha, 2000.

Bibliografia complementar

ALENCASTRO, Luis Felipe de. Joaquim Nabuco: Um estadista no Império. In MOTA, Lourenço Dantas (org.). Introdução ao Brasil: um banquete no trópico. São PauloSENAC, vol. 1, 2ª ed., pp.113-133, 1999.
ALONSO, Ângela. Joaquim Nabuco. São PauloCompanhia das Letras, coleção perfis brasileiros, [2007]. 
CARVALHO, Maria Alice Rezende de. Joaquim Nabuco: Minha formação. In MOTA, Lourenço Dantas (org.)Introdução ao Brasil: um banquete no trópico. São PauloSENAC, vol. 2, 2ª ed., pp.219-237, 2002.
CARVALHO, Maria Alice Resende de. O quinto século: André Rebouças e a construção do Brasil. Rio de Janeiro: Ed. REVAN/IUPERJ-UCAM, 1988.
NABUCO, Joaquim. Minha Formação. São PauloJackson Editôres, coleção Clássicos Jackson, volume XX, cap. XIX, “Eleição de deputado”, pp. 217-227, 1948.
AULA 7.  Nacionalismo, Idealismo Orgânico e Utópico: Oliveira Vianna 
Bibliografia indicada

VIANNA, Oliveira. O idealismo da constituição. São Paulo/Rio de Janeiro/Recife/Porto Alegre: Companhia Editora Nacional, série Brasiliana, vol. 1411939.

Bibliografia complementar

TORRES, Alberto. O problema nacional brasileiro: introdução a um programa de organização nacional. Brasília: Companhia Editora Nacional/MEC1978 [1914]. 
LAMOUNIER, Bolívar. Formação de um pensamento político autoritário na Primeira República: uma interpretação. In Holanda, Sérgio Buarque - História Geral da Civilização Brasileira. São Paulo: Difel, 3ª ed., 2º vol., tomo III, 1985.
SANTOS, Wanderley Guilherme dos. Décadas de espanto e uma apologia democrática. Rio de JaneiroRocco, 1998.
VIANNA, Oliveira. O idealismo da constituição. São PauloCompanhia Editora Nacional, coleção brasiliana, série 5, vol. 141, 2ª ed., 1939 [1927].
VIANNA, Oliveira. Problemas de política objetiva. Companhia Editora Nacional, 2ª ed., São Paulo, 1945 [1930].
AULA 8.  Mandonismo, coronelismo, clientelismo: Victor Nunes Leal

Bibliografia indicada

LEAL, Victor Nunes. Coronelismo, enxada e voto. São Paulo: Alfa-ômega, cap. 1, “Indicações sobre a estrutura e o processo do 'coronelismo'”, pp. 19-57, 1975 [1949].

Bibliografia complementar

CARVALHO, José Murilo de . Mandonismo, Coronelismo, Clientelismo: uma discussão conceitual. Rio de Janeiro: Dados, vol. 40, nº 21997.
CARVALHO, José Murilo de. Em louvor de Victor Nunes Leal. Rio de JaneiroDados, vol. 23, nº 1, , 1980.
GOMES, Angela de Castro. A República não oligárquica e o liberalismo dos empresários. In Silva, Sergio S. & Szmerecsányi, Tamás (orgs.). História econômica da Primeira República. São Paulo: EDUSP/Imprensa Oficial SP/Hucitec/ABPHE, 2ª ed., pp.91-101, 2002.
GRAHAN, RichardClientelismo e política no Brasil do século XIX. Rio de JaneiroEd. UFRJ, 1997[1990].
LEAL, Victor Nunes. O coronelismo e o coronelismo de cada um. Rio de Janeiro: Dados, vol. 23, nº 1, 1980.
QUEIROZ, Maria Isaura Pereira deO mandonismo local na vida política brasileira. São PauloAlfa-Omega, 1976 [1970].
QUEIROZ, Maria Isaura Pereira deO coronelismo numa interpretação sociológica. In; Fausto, Boris (org.). História Geral da Civilização Brasileira. São PauloDifel, tomo III, vol.1, 1975
REIS, Elisa Pereira. Processos e escolhas: estudos de sociologia política. Rio de Janeiro: Contra-capa Livraria, parte III, capítulo “Poder privado e construção do Estado sob a Primeira República”, pp. 183-212, 1998.

AULA 9.  A ordem privada e a organização nacional: Nestor Duarte 

Bibliografia indicada

DUARTE, Nestor. A ordem privada e a organização nacional: contribuição à sociologia política brasileira. São PauloCompanhia Editora Nacional, coleção brasiliana, vol. 172, 2ª ed., 1966 [1939].

Bibliografia complementar

AMBROSINI, Diego. Contextos de Nestor Duarte: direito, sociologia e política. São Paulo: Tese de doutorado, Programa de Pós-Graduação em Ciência Política, Universidade de São Paulo (USP), [2011].
BRANDÃO, Gildo MarçalLinhagens do pensamento político brasileiro. São PauloHucitec, cap. 1, “Linhagens do pensamento político brasileiro”, pp. 21-68, [2007].
PIVA, Luiz Guilherme. Semeadores e ladrilhadores: a modernização brasileira no pensamento político de Oliveira Vianna, Sérgio Buarque de Holanda, Azevedo Amaral e Nestor Duarte (1920-1940). São PauloEd. 34/Depto. Ciência Política FFLCH/USP, cap. 7, “Nestor Duarte: determinismo privado e razão pública”, pp. 227-251, [2000].

AULA 10.  Marxismo e Revolução Nacional: Caio Prado Júnior 

Bibliografia indicada


PRADO JÚNIOR, Caio. A Revolução Brasileira. São PauloBrasiliense, [1966].

Bibliografia complementar

PRADO JÚNIOR, Caio. Evolução política do Brasil: colônia e império. São Paulo: Brasiliense, 16ª ed., 1988 [1933].
PRADO JÚNIOR, Caio. Formação do Brasil Contemporâneo: colônia. São PauloBrasiliense/Publifolha, 2000.
RICÚPERO, Bernardo. Caio Prado Júnior e a nacionalização do marxismo no Brasil. São PauloEd. 34/FAPESP/Depto. Ciência Política FFLCH/USP, [2000].
RICÚPERO, BernardoSete lições sobre as interpretações do Brasil. São PauloAlameda, cap. V, “Caio Prado Júnior”, pp. 129-155, [2007].

AULA 11. O estamento burocrático patrimonial: Raymundo Faoro

Bibliografia indicada

FAORO, Raymundo.Os donos do poder: formação do patronato político brasileiro.  São PauloGlobo/Publifolha, 2000 [1957].

Bibliografia complementar

CAMPANTE, Rubens Goyatá. O patrimonialismo em Faoro e Weber e a sociológica brasileira. Rio de Janeiro: Dados, vol. 46, nº 1, 2003.
COMPARATO, Fábio KonderFaoro historiador. São Paulo: Estudos Avançados, vol. 17, nº 48, 2003.
RICUPERO, BernardoSete lições sobre as interpretações do Brasil. São PauloAlameda, cap. VI, “Raymundo Faoro”, pp. 155-181, [2007].
SHWARTZMAN, SimonAtualidade de Raymundo Faoro. Rio de Janeiro: Dados, Vol. 46, n. 2, pp. 207 a 213, 2003.
AULA 12. Desenvolvimento, subdesenvolvimento e dependência: Celso Furtado

Bibliografia indicada
FURTADO, Celso. Formação Econômica do Brasil. BrasíliaEd.UnB, 1963 [1957].
            
            Bibliografia complementar

CEPÊDA, Vera. Celso Furtado e a interpretação do subdesenvolvimento. São Paulo: Perspectivas, 28:57-77, 2005.
FURTADO, Celso. Economia colonial no Brasil nos séculos XVI e XVII. São PauloHucitec/ABPHE, 2001[1948]. 
________________. O mito do desenvolvimento econômico. Rio de JaneiroPaz e Terra, [1974].
________________. A fantasia desfeita. Rio de JaneiroPaz e Terra, 3ª ed., [1989].
BACELAR, Tânia. A 'questão regional' e a 'questão nordestina'. In TAVARES, Maria da Conceição (org.). São Paulo: Perseu Abramo, pp.17-92, 1996.
AULA 13. Corporativismo e Populismo: Francisco Weffort
Bibliografia indicada
WEFFORT, Francisco. O populismo na política brasileira. São Paulo/Rio de Janeiro: Paz e Terra, 5ª ed., capítulo III, “O populismo na política brasileira”, pp.71-892003 [1978].
Bibliografia complementar
CARDOSO, Fernando Henrique & FALETTO, Enzo. Dependência e desenvolvimento na América Latina: ensaio de interpretação sociológica. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 8ª ed., capítulo V, “Nacionalismo e populismo: forças sociais e política desenvolvimentista na fase de consolidação do mercado interno”, pp. 119-146, 1970.
IANNI, Octávio. O colapso do populismo no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1968.
REIS FILHO, Daniel Aarão. O colapso do populismo ou a propósito de uma herança maldita. In FERREIRA, Jorge (org.). O populismo e sua história: debate e crítica. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2ª ed., pp.321-377, 2010.
GOMES, Angela de Castro. O populismo e as ciências sociais no Brasil: notas sobre a trajetória de um conceito. In FERREIRA, Jorge (org.). O populismo e sua história: debate e crítica. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2ª ed., pp.17-57, 2010.

AULA 14 – Neoliberalismo e Neodesenvolvimentismo: Bresser Pereira

Bibliografia indicada

BRESSER PEREIRA, Luis Carlos (1997). A reforma do Estado dos anos 90: lógica e mecanismos de controle. Brasília: Cadernos MARE.
BRESSER PEREIRA, Luis Carlos.  Do antigo ao novo desenvolvimentismo na América Latina. Extraído em 20 de março de 2012 de [http://www.bresserpereira.org.br/papers/2010/10.01.Do_velho_novo_desenvolvimentismo.CCF.pdf]
                  
                   Bibliografia complementar

SINGER, André. Raízes ideológicas do lulismo. São Paulo: Novos Estudos CEBRAP, nº 85, pp.83-1022009.
VIANNA, Luis Werneck. O Estado Novo do PT. In VIANNA, Luis Werneck. A modernização sem o moderno: análises de conjuntura na era Lula. Brasília: Contraponto/Fundação Astrogildo Pereira, pp.25-35, 2011.

AULA 15 - Linhagens do pensamento político brasileiro: Gildo Marçal Brandão

Bibliografia indicada

BRANDÃO, Gildo Marçal. Linhagens do pensamento político brasileiro. São PauloHucitec, cap. 4, “Idéias e intelectuais: modos de usar”, pp. 137-159, [2007].

Bibliografia complementar

VIANNA, Luiz Werneck. Weber e a interpretação do Brasil. In site Gramsci e o Brasil, www.artnet.com .br/gramsci/arquiv35.htm
______________________. Caminhos e Descaminhos da Revolução Passiva à Brasileira. Rio de JaneiroDados, v. 39, nº 3, 1996.

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Programa - Democracia no Brasil Contemporâneo


Universidade Federal da Paraíba
Centro de Ciências Humanas Letras e Artes
Departamento de Ciências Sociais
Curso de Ciências Sociais


Disciplina: Democracia no Brasil contemporâneo
Docente: Prof. Dr. José Henrique Artigas de Godoy
Período: 2012.2 (dezembro de 2012 a abril de 2013)
Horário: sextas-feiras das 19:00 às 22:20 hs.

Programa

AULA 1  - Apresentação do curso

AULA 2 – A transição do regime militar para a democracia no Brasil.

Bibliografia indicada:

ANDRADE, Luiz Aureliano Gama de. A construção da ordem democrática: notas sobre o caso brasileiro. In  MOURA, Alexandrina Sobreira de (org.). O Estado e as políticas públicas na transição democrática. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais/ Edições Vértice, com comentários de Sebastião Velasco Cruz, 1989.
CARVALHO, Inaiá & LANIADO, Ruthy Nádia. Transição democrática, políticas públicas e movimentos sociais. In MOURA, Alexandrina Sobreira de (org.). O Estado e as políticas públicas na transição democrática. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais/ Edições Vértice, com comentários de Roberto Aguiar, 1989.
CHAUÍ, Marilena & NOGUEIRA, Marco Aurélio. O pensamento político e a redemocratização no Brasil. São Paulo: Lua Nova, 71: 173-228, 2007. In http://www.scielo.br/pdf/ln/n71/05.pdf, , extraído em 29/11/2012.
COUTINHO, Carlos Nelson. Democracia: um conceito em disputa. In http://www.socialismo.org.br/portal/filosofia/155-artigo/699-democracia-um-conceito-em-disputa-, extraído em 29/11/2012.
LAMOUNIER, Bolívar. Perspectivas da consolidação democrática: o caso brasileiro. In HTTP://www.anpocs.org.br/portal/publicacoes/rbcs_00)04/rbcs04_05.htm, , extraído em 29/11/2012.
KINZO, Maria d’Alva Gil. A democratização brasileira. Um balanço do processo político desde a transição. São Paulo: São Paulo em perspectiva, 15 (4), pp. 3-12, 2001.
MELO, Marcus André B. C. de. Políticas públicas e transição democrática. In MOURA, Alexandrina Sobreira de (org.). O Estado e as políticas públicas na transição democrática. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais/ Edições Vértice, com comentários de Luiz Aureliano Gama de Andrade, 1989.
REIS, Elisa Pereira. Política e políticas públicas na transição democrática. In MOURA, Alexandrina Sobreira de (org.). O Estado e as políticas públicas na transição democrática. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais/ Edições Vértice, com comentário de Maria Helena Guimarães, 1989.
WEFFORT, Francisco. Por que democracia? São Paulo: Brasiliense, 1986.
WEFFORT, Francisco. Qual Democracia? São Paulo: Cia. Das Letras, cap. 4, “Novas democracias. Quais democracias?”, pp. 85-104, e cap. 5, “Democracia delegativa versus movimento democrático”, pp. 105-120, 1992.

AULA 3 – O presidencialismo de coalizão como padrão institucional

Bibliografia indicada

LIMONGI, Fernando. Presidencialismo, coalizão partidária e processo decisório. São Paulo: Novos Estudos/CEBRAP, nº 76, pp. 17-41, 2006.
LIMONGI, Fernando & FIGUEIREDO, Argelina. As bases institucionais do presidencialismo de coalizão. São Paulo: Lua Nova, no. 44, pp. 81-106, 1998.
LIMONGI, Fernando.  A democracia no Brasil: presidencialismo, coalizão partidária e processo decisório. São Paulo: Novos Estudos/CEBRAP, nº 76, pp. 17-41, 2006.
MASTRUCELLI, Danilo Enrico. A ideologia do “presidencialismo de coalizão”. São Paulo: Lutas Sociais, nº 24, p. 60-69, 2000.
MENDES, Maurício Matos. Breves anotações sobre o presidencialismo de coalizão. Basília: E-legis, nº 3, pp. 62-72, 2009. In  http://bd.camara.gov.br/bd/bitstream/handle/bdcamara/2261/breves_anotacoes_mendes.pdf?sequence=4, extraído em 29/11/2012.

AULA 4 – A relação entre os Poderes
Bibliografia Indicada

ARANTES, Rogério. Direito e política: o Ministério Público e a defesa dos direitos coletivos. São Paulo: Revista Brasileira de Ciências Sociais/ANPOCS, vol. 14, nº 39, pp. 83-102, 1999.
BURGOS, Marcelo Baumann & CARVALHO, Maria Alice de & MELO, Manuel Palacios Cunha & WERNECK VIANNA, Luis. A judicialização da política e das relações sociais no Brasil. Rio de Janeiro: REVAN, parte I, cap. 1, “A judicialização da política no Brasil: o duplo caráter da Judicialização da Política no Brasil”, pp. 47-70, 1999.
COMPARATO, Fabio Konder. O poder judiciário no regime democrático. São Paulo: Estudos avançados/USP, vol. 18, nº 51, pp. 151-158, 2004.
KINZO, Maria d’Alva. Partidos, eleições e democracia no Brasil pós-85. São Paulo: Revista Brasileira de Ciências Sociais/ANPOCS, vol. 19, nº54, pp. 23-40, 2004.
METTENHEIM, Kurt von. A presidência e a separação dos poderes no Brasil (1999-2002). São Paulo: Tempo Social/USP, vol. 15, nº 2, pp. 238-267, 2003.
MORAES, Filomeno. Executivo e Legislativo no Brasil pós-constituinte. São Paulo: São Paulo em perspectiva, vol. 15, nº 4, pp. 45-52, 2001.
MUELLER, Bernardo & PEREIRA, Carlos. Partidos fracos na arena eleitoral e partidos fortes na arena legislativa: a conexão eleitoral no Brasil. Rio de Janeiro, Dados, vol. 46, nº4 ,  pp. 735-771, 2003.
SADECK, Maria Tereza. Judiciário: mudanças e reformas. São Paulo: Estudos avançados/USP, vol. 18, nº51, pp. 79-101, 2004.
WERNECK VIANNA, Luis & Burgos, marcelo, & Sales, Paula. Dezessete anos de judicialização da política. São Paulo: Tempo social/USP, vol. 19, nº 2, pp. 39-85, 2007.

AULA 5 – Cidadania e participação política

BAQUERO, Marcello. Cultura Política participativa e desconsolidação democrática: reflexões sobre o Brasil contemporâneo. São Paulo: São Paulo em Perspectiva, nº 15, vol. 4, 2001. Extraído em 14/01/2013 de http://www.scielo.br/scielo.php?pid=s0102-88392001000400011&script=sci_arttext
CARVALHO, José Murilo de ([2000]2008). Cidadania no Brasil: o longo caminho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 10ª ed., capítulo IV, “A cidadania após a redemocratização”, pp. 197-217.
CARVALHO, José Murilo de. Cidadania, estadania, apatia. In Jornal do Brasil, edição de 24/06/2001, p. 8.  Extraído em 14/01/2013 de http://www.ifcs.ufrj.br/~ppghis/pdf/carvalho_cidadania_estadania.pdf .
LOPES, Juarez Brandão. A cultura política do mando: subserviência e nossas populações pobres. São Paulo: Revista Brasileira de Ciências Sociais, nº 25, 1994. Extraído em 14/01/2013 de http://www.anpocs.org.br/portal/publicacoes/rbcs_00_25/rbcs25_03.htm
REIS, Elisa Pereira. Sobre a cidadania. In REIS, Elisa Pereira. Processos e Escolhas: estudos de Sociologia Política. Rio de Janeiro: Contra-capa Livraria, pp. 27-43, 1998.
REIS, Elisa Pereira. Cidadania: história, teoria e utopia. Palestra proferida no seminário internacional Justiça e Cidadania, realizado no Rio de Janeiro nos dias 10 e 11 de setembro de 1997. Extraído em 14/01/2013 de http://www.comunidadesegura.org.br/files/cidadaniahistoriateoriaeutopia.pdf
SALES, Teresa. Raízes da desigualdade social na cultura política brasileira. São Paulo: Revista Brasileira de Ciências Sociais/ANPOCS, nº 25, 1994. Extraído em 14/01/2013 de http://www.anpocs.org.br/portal/publicacoes/rbcs_00_25/rbcs25_02.htm
TELLES, Vera da Silva. Cultura da dádiva: avesso da cidadania. São Paulo: Revista Brasileira de Ciências Sociais, nº 25, 1994. Extraído em 14/01/2013 de http://www.anpocs.org.br/portal/publicacoes/rbcs_00_25/rbcs25_05.htm


AULA 6 – Prova
AULA 7 – Movimentos sociais como atores políticos

GOHN, Maria da Glória. Movimentos sociais na contemporaneidade. São Paulo: Revista Brasileira de Educação, v. 16, nº 47, 2011. Extraído em 14/01/2013 de http://www.scielo.br/pdf/rbedu/v16n47/v16n47a05.pdf
PAOLI, Maria Célia. Movimentos Sociais, cidadania, espaço público: perspectivas brasileiras para os anos 90. São Paulo: Revista Crítica de Ciências Sociais, nº 33, pp. 115-133, 1991. Extraído em 14/01/2013 de https://docs.google.com/file/d/0B-C1cSpbKdaWUDhXWlVudFpDVmM/edit

AULA 8 - Reforma do Estado e Neoliberalismo
ANDERSON, Perry. Além do neoliberalismo. In SADER, Emir & GENTILLI, Pablo (orgs.). Pós-neoliberalismo, as políticas sociais e o Estado democrático. Rio de Janeiro: Paz e Terra, pp. 9-10, 1995. 
BOITO Jr., Armando. Hegemonia neoliberal e sindicalismo no Brasil. São Paulo: Crítica Marxista, nº 3, 1996. Extraído em 14/01/2013 de http://www.unicamp.br/cemarx/criticamarxista/3_Boito.pdf
BRESSER PEREIRA, Luis Carlos. A reforma do Estado dos anos 90: lógica e mecanismos de controle. Brasília: Cadernos MARE, 1997. Extraído em 21/02/2013 de http://www.planejamento.gov.br/secretarias/upload/Arquivos/publicacao/seges/PUB_Seges_Mare_caderno01.PDF
BRESSER PEREIRA, Luis Carlos & GRAU, Nuria Cunill. Entre o Estado e o Mercado: o público não estatal. In BRESSER PEREIRA, Luis Carlos & GRAU, Nuria Cunill (org.). O público não estatal na Reforma do Estado. Rio de Janeiro: Editora FGV, pp. 15-48, 1999. Extraído em 14/01/2013 de http://www.bresserpereira.org.br/papers/1998/84PublicoNaoEstataRefEst.p.pg.pdf

BRESSER PEREIRA, Luis Carlos. Democracia, Estado Social, e Reforma Gerencial. Intervenção no VI Fórum da Reforma do Estado. Rio de Janeiro, 1º. de outubro de 2007. Extraído em 14/01/2013 de http://www.bresserpereira.org.br/papers/2008/07.17.DemocraciaEstadoSocialEReformaGerencial.28.2.08.pdf
DAGNINO, Evelina. Construção democrática, neoliberalismo e participação: os dilemas da confluência perversa. Campinas: Política & Sociedade, nº 5, pp. 139-164, 2004. Extraído em 14/01/2013 de http://www.periodicos.ufsc.br/index.php/politica/article/view/1983/1732
DINIZ, Eli. Globalização, Reforma do Estado e teoria democrática contemporânea. São Paulo: São Paulo em Perspectiva, vol. 15, nº 4, 2001. Extraído em 14/01/2013 de http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-88392001000400003&script=sci_arttext

AULA 9 –  Petismo e Lulismo
SINGER, André.  Raízes sociais e ideológicas do lulismo. São Paulo: Novos Estudos/CEBRAP, 85, nov. 2009, pp. 83-102. Extraído em 14/01/2013 de http://novosestudos.uol.com.br/acervo/acervo_artigo.asp?idMateria=1356
SAMUELS, David. As bases do petismo. Campinas: Opinião Pública, vol. X, nº 2, out. 2004, pp. 221-241. Extraído em 14/01/2013 de: http://www.scielo.br/pdf/op/v10n2/22016.pdf
SAMUELS, David. “A evolução do petismo (2002-2008)”, Campinas, Opinião Pública, XIV (2), nov. 2008, pp. 302-318. Extraído em 14/01/2013 de: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-62762008000200002&script=sci_arttext
VIANNA, Luis Werneck. O Estado Novo do PT. In Gramsci e o Brasil, Extraído em 14/01/2013 de: http://www.acessa.com/gramsci/?page=visualizar&id=755
SALLUM JR., Brasílio. Hegemonia liberal, desenvolvimentismo e populismo: notas sobre a especificidade do governo Lula. Extraído em 14/01/2013 de: http://www.nuso.org/upload/articulos/3554_2.pdf

AULA 10 –A nova questão do desenvolvimento

BATISTA JR., Paulo Nogueira. Desenvolvimento “light”? Portal Vermelho, 26/01/2007. Disponível em: http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=12052&id_secao=1. (Página consultada em 15.06.2012).
BRESSER PEREIRA, Luis Carlos. O novo desenvolvimentismo e a ortodoxia convencionalSão Paulo em Perspectiva, São Paulo, Fundação Seade, v. 20, n. 3, p. 5-24, jul./set. 2006. Extraído em 14/01/2013 de http://www.seade.gov.br/produtos/spp/v20n03/v20n03_01.pdf
CEPÊDA, Vera Alves. Inclusão, democracia e novo-desenvolvimentismo: um balanço histórico. In São Paulo: Revista Estudos Avançados/USP, 2012, Extraído em 05/03/2013 de:  http://www.scielo.br/pdf/ea/v26n75/06.pdf

COSTA, Fernando Nogueira da. Desenvolvimento do desenvolvimentismo: do Socialismo Utópico ao Social-Desenvolvimentismo. Campinas: Texto para Discussão/ IE/UNICAMP, N. 250, mai/2012. Extraído em 14/01/2013 de:  http://fernandonogueiracosta.files.wordpress.com/2012/04/fernando-costa-desenvolvimento-do-desenvolvimentismo.pdf
DINIZ, Eli. O contexto internacional e a retomada do debate sobre desenvolvimento no Brasil contemporâneo (2000/2010). Rio de Janeiro: Dados, Vol. 54, N. 4, pp. 493 a 531, 2011.
DRAIBE Sônia M.; RIESCO, Manuel. Estados de Bem-Estar Social e estratégias de desenvolvimento na América Latina; um novo desenvolvimentismo em gestação? Porto Alegre: Sociologias, Porto Alegre, ano 13, no 27, mai./ago, p. 220-254, 2011. Extraído em 14/01/2013 de http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1517-45222011000200009&script=sci_arttext
POCHMANN, Márcio. Novo desenvolvimentismo como resposta à crise globalIn CASTRO, Daniel; MELO, José Marques de (orgs.). Panorama da comunicação e das telecomunicações no Brasil, 2011-2012: Indicadores. Brasília: Ipea, 2012. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/Panorama_da_Comunicao_e_das_Telecomunicaes_no_Brasil_-_Volume_1.pdf
RIDENTI, Marcelo. Desenvolvimentismo: o retornoRevista Espaço Acadêmico, nº 92, jan-2009. Disponível em: http://www.espacoacademico.com.br/092/92ridenti.pdf
SICSÚ, João; PAULA, Luiz Fernando de; MICHEL, Renaut. Por que novo-desenvolvimentismo? Revista de Economia Política, vol. 27, nº 4 (108), pp. 507-524 out-dez/2007. Extraído em 14/01/2013 de : http://www.ie.ufrj.br/moeda/pdfs/porque_novo_desenvolvimentismo.pdf
KERSTENETZKY, Celia Lessa. Wellfare State e Desenvolvimento. Rio de Janeiro: DADOS, vol. 54, nº 1, pp. 129 a 156, 2011. Extraído em 14/01/2012 de http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0011-52582011000100004&script=sci_arttextProva

AULA 11- Prova

AULA 12 - A democratização da democracia e a republicanização da República

 AVRITZER, Leonardo. O orçamento participativo e a teoria democrática: um balanço crítico. In http://www.democraciaparticipativa.org/files/LeonardoAvritzer-Oor%E7amentoparticipativoeateoriademocr%E1ticaumbalan%E7ocr%EDtico.pdf , extraído em 29/11/2012.
AVRITZER, Leonardo & Anastasia, Fátima. Reforma Política no Brasil. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2006. In http://www.democraciaparticipativa.org/files/livro_reformaPol.pdf, extraído em 29/11/2012.
AVRITZER, Leonardo & COSTA, Sérgio. Teoria crítica, democracia y esfera pública: concepciones e usos en América Latina. In http://www.democraciaparticipativa.org/files/Espanol/Arquivos/bibli_espacio%20publico.pdf, extraído em 29/11/2012.

AULA 13 – Reformas políticas e a cidadania possível
ANASTASIA, Fátima & AVRITZER, Leonardo (org.). Reforma Política no Brasil. Belo Horizonte: UFMG, 2003.
AULA 14 – Prova
AULA 15 – Prova Final